segunda-feira, 10 de julho de 2017

A história de um livro velho - Programando em 3 dimensões

Eu tinha um professor de matemática, Dênis, sempre incentivou a estudar e ter curiosidade. E posso dizer que foi graças a ele que comecei a entender matemática e gostar de computadores [Obrigado Denis nunca te esqueço, amigo]. Ele me deu oportunidade pra ver computares e mesmo seus joguinhos de perto lá pelo ano de 1987. Passaram se alguns anos depois disso, e um dia no Carrefour, deparei com o livro na prateleira:

Programando em 3 dimensões - Animação - Gráficos em 3D - Ray Tracing - 1992
Autores: Christopher D. Watkins, Larry Sharp

Gostei de mais. Primeiro por causa das imagens... claro pessoal eu ainda era adolescente. E segundo, porque era fascinado por computadores e joguinhos. Eu tinha que entender tudo aquilo. Então, compramos o livro. Mesmo sem o seu disquete e cupons, que provavelmente foram arrancados por alguém. Na verdade, tava tão ansioso de escrever tudo aquilo e ver rodando que nem percebi que estava faltando o disquete. Eu ainda nem sabia que faltava requisitos. Quando se está sozinho em uma empreitada, as vezes percebemos um pouco tarde que estamos dando um passo longo de mais.

Ao chegar em casa, com calma sentei pra ver. Notei a falta do disquete. Isso me chateou. Todo mundo brigou comigo. Falou que eu deveria jogar o livro fora. Nunca gostei de desistir das coisas. desde novo. Eu disse não jogaria fora e que iria entender tudo aquilo um dia. Guardei na estante por um tempo. Eu fui atrás dos requisitos.

Matrizes, geometria analítica, vetores, álgebra linear... Naquele tempo, ainda nem tinha ouvido falar de linguagem C ou mesmo ter acesso a internete. Ninguém próximo a mim podia me ensinar ou dar dicas. Não conseguia encontrar ninguém e ninguém sabia quem me indicar. Nas faculdades, alguns que sabiam não tinham tempo e outros que trabalhavam com outras linguagens não queriam se meter com aquela linguagem. Esse livro teve que ficar na estante por anos até que finalmente em 2000, tive acesso a internete e consegui baixar o compilador TCC da Borland e vários tutoriais. Passaram-se uns 7 anos e finalmente tinha conseguido todos os requisitos pra voltar ao livro. E assim, no mesmo ano, consegui fazer rodar e mesmo encontrar os erros de digitação da tradução ou do autor do livro para os fontes. Eu estava com 23 anos e sentia que estava conseguindo recuperar um tempo perdido longe da tecnologia e do conhecimento. Alguns anos depois, fui para a faculdade tive muita facilidade com vetores e geometria graças a este livro.

Quem diria! Hoje faço joguinhos!

Se forem dar um livro de computação gráfica para seus filhos, comecem por este livro, mas antes, faça-o gostar de matemática. Não comecem com livros que vão direto para funções como as do OpenGL ou de acesso a placas gráficas, que já possuem seus programas na forma de hardware. tente conhecer a matemática por trás dessa computação. peguem a matemática da coisa. por isso recomendo este livro. E SEM O DISQUETE!

Capa do livro, que guardo ainda hoje e algumas paginas interessantes do livro:






Quem adivinha o que é isso?



Outro livro que não posso deixar de recomendar também para os que estão fazendo exercício de paciência é o Livro: Gödel, Escher, Bach. Bem... Eu levei 6 anos.

DESAFIO: Se começar e parar... é boiolinha! viadinho! Viadinho! Pode não! Tem que ir até o fim.


O que acham dessa? Diz que vai ler um livro e para na segunda página porque não aceita a cultura de outro país. Diz que o livro é chato.

As vezes, precisamos passar por cima de nossos gostos para entender outras culturas e absorver o ensinamento essencial.

http://tivideotutoriais.blogspot.com.br/2017/04/teoria-geral-dos-tratados.html

http://tivideotutoriais.blogspot.com.br/2016/06/projeto-verde-fase-i-estantes-de.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário