sábado, 9 de maio de 2015

Jeitinho brasileiro - Brasil vergonha


Muitas vezes me perguntam: Mas por quê você é tão radical, Luiz? Um homem civilizado como você não deveria ser a favor da pena de morte, pelo contrário, deveria ser contra!

http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2015/05/1626849-instituto-dos-eua-recomenda-jeitinho-contra-atraso-a-bolsistas-brasileiros.shtml

Eu posso simplificar o motivo dando um exemplo simples:

Se um líder de um grupo de soldados vende uma batalha para o exercito inimigo, levando seus comandados à morte, qual punição melhor para este líder do que a morte? A pena de morte para uma situação destas seria a melhor de todas. Por que nosso País não vai pra frente? Por falta de homens.


Se quando um dos soldados descobre tal negociação e mata seus comandantes traidores, ele o faz por motivação justa, já conhecendo a punição que merecem e principalmente por sua própria segurança. Pense: O que aconteceria se o coitado do soldado levasse os fatos aos superiores dos traidores e descobrisse da pior maneira, com uma bala na testa, de que seus superiores foram corrompidos também? Isso não seria justo. Quem vê um crime como estes deve se certificar de que o traidor seja punido, que não morra e nem seja perseguido por eliminar o traidor.

Contratos hoje viraram piada! Não são respeitados! E quem paga o pato?

É claro que não me refiro a pena de morte para casos menos graves que corrupção em cargo público.
Ladrão de galinha, de carro ou o atropelador de criança merece um tratamento diferenciado, mas cargo público é sagrado!


Na covardia do sistema atual, estes criminosos não sentem nem o cheiro da cadeia. Eles riem de nós. Além disso o traidor muitas vezes não tem o mesmo escrúpulo dos defensores dos direitos humanos. Eles matam ou perseguem sem dó e piedade aqueles que os flagram. Por isso, acho que devíamos equilibrar a balança. Dar a chance do descobridor da traição de sobreviver.

Se os homens de hoje se tornaram ratos e não fazem o que é correto por educação, que façam por medo da punição.
Que juiz, diante de provas materiais, condenaria o algoz destes traidores? Só se quisesse morrer também, pois o povo cairia matando sobre ele.

Eu detesto essa idéia, mas não consigo enxergar outra forma de garantir que os juramentos sejam cumpridos. Se alguém puder me provar que existe uma forma melhor de garantir que homens de verdade subam ao poder, me fariam um favor se me contassem como.

Nenhum comentário:

Postar um comentário